sexta-feira, 23 de maio de 2014

Lenda Viva da Educação



Prof. Cosmo Cabral sempre na luta



Considerado por alguns educadores do Estado do Pará, como uma “lenda viva da educação”, o geógrafo, pedagogo, bacharel em direito, sindicalista e professor Cosmo Santos Cabral teria no dia 20 do corrente audiência de instrução da ação de indenização movida contra o Estado, por danos morais, quando de forma arbitraria, autoritária e ditatorial, no dia 08 de janeiro de 2002, foi expulso das instalações do prédio da EEEFM “Augusto Meira”, localizado na  AV. José Bonifácio com a Av. Gentil Bitencourt, por ordem do então governador tucano Almir Gabriel, da Secretaria Estadual de Educação Izabel Amazonas, do secretário de Segurança Pública Paulo Sette Câmara e do Secretario Nilson Pinto que formavam o núcleo politico dos tucanos naquele momento.,. Neste ano, exercia a Direção desta Escola, eleito através das eleições diretas pelos segmentos escolares, com apoio do Conselho Escolar. A audiência foi adiada para o dia 08 de agosto próximo, pe lo fato do juiz estar de férias.



Prof. Cosmo Cabral não foge da luta


A prática politica do PSDB nós já sabemos, já que não tem a mínima vinculação com as decisões populares, por isso fez o que fez com o professor Cosmo Cabral, quando o referido Professor foi eleito, recebeu sua portaria de Direção das mãos do porteiro da Escola. 


A perseguição política contra o Diretor Cosmo Cabral iniciou quando ele assume a Direção da Escola e questionou a reforma concluída, porém, com algumas falhas. A mesma tinha sido realizada  por empresa ligada ao governo tucano, que logo após a reforma pediu falência, na Jucepa. Inclusive, o Professor Cosmo Cabral foi processado criminalmente pelo estado, o que foi arquivado em setembro de 2003, sem provas contundentes contra sua pessoa. 


Prof. Cosmo sempre participando das decisões da categoria


O objetivo principal dos tucanos era prender o Diretor, com o apoio de dois delegados e 30 policiais, mas não obteve sucesso, com o clima tenso, o professor teve sua pressão arterial elevada tendo que ser urgentemente atendido no Pronto Socorro do Guamá, onde ficou por quatro dias. Mesmo hospitalizado, os policiais com ordem de prisão fizeram o cerco, e só não levaram o professor pela interferência do Dr. Bezerra, na época Diretor daquela rede hospitalar e dos companheiros que protegeram as portas que davam acesso ao quarto.

  
Participação nas Assembleias da categoria


Para quem  lembra desse fato histórico, do qual o Diretor contrapõe a estrutura do sistema que possui a função de confiança do Estado, porém eleito de forma democrática dentro de uma unidade pública, que é pago com o dinheiro público, através dos impostos, foi um dos momentos mais tristes e negativas da história da educação em nosso Estado, patrocinado pelo governo dos tucanos.

Prof. Cosmo participando de formação


Atualmente, o Professor Cabral está aposentado da regência de classe, mas não aposentado das suas ideias politicas e profissionais. Por tudo que ele fez e faz, é reconhecido e respeitado pela maioria das pessoas que o conhecem, como a “lenda viva da educação”. 


Prof. Cosmo com amigos

3 comentários:

  1. Importante registro da história do professor e companheiro de luta Cosme, que tenhamos o prazer de sua convivência e fortalecimento das lutas pela educação e democracia. Que infelizmente estamos revivendo a truculência tucana de modo mais ganancioso, que há décadas passadas.
    Registro pra história do pará e do Brasil.

    ResponderExcluir
  2. Os educadores, como a Educação. muito além de cargos públicos, são compromissos sociais focados na promoção da participação consciente política de todos os segmentos da sociedade na construção de um sistema social de condições é qualidade de vida boa para todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lembro muito bem dessa reforma. Ele selecionou adolescentes da comunidade carente, do Guamá, dava 2 vale-transporte por dia, um pão com queijo e um copo de soberano.
      Qual era o objetivo?
      Formou "cursos profissionalizantes" ministrados por um monte laranjas onde tinha curso de pintura predial, encanador e eletricista. E advinha qual foi a prova final do curso? Cada turma de alunos simplesmente foi dividida em:
      1 - Turma de pintores: Pintar e emassar as salas, quadra de esportes, corredores e até tirar o chiclete com espátula que os alunos da escola jogavam.
      2 - Encanadores: Manutenção geral do sistema de água da escola.
      3 - Eletricista: Reforma total da fiação.
      Hoje eu sei o motivo desse curso... Se quiserem mais provas, eu tenho.

      Excluir