sábado, 22 de abril de 2017

Memórias do Sistema de Organização Modular de Ensino - Some




Quando se trata de falar sobre memórias é o momento de resgatar o tempo do passado. Estarei relatando alguns momentos que vivenciei durante esses vinte e oito anos, de Sistema de Organização Modular de Ensino – Some, enquanto política pública, voltado para a educação no Estado do Pará. Queria ressaltar, que essas histórias de vida se entrelaçam com diversos momentos da educação, entre o período de maio de 1989, momento em que entrei para o quadro de educadores na Secretaria Estadual de Educação do Estado do Pará – Seduc e provavelmente, no presente ano, que estarei dando entrada ao processo de aposentaria, que tenho direito nesses trinta anos de magistério.



Como historiador, não poderia deixar de registrar esses momentos e muitos deles, tive como laboratório pedagógico as salas de aulas, por onde desenvolvi minhas atividades, juntamente com os profissionais de equipes; assim como as trocas de experiências com os alunos, onde aprendi muito nestes rincões de nosso Estado. Umas das referências, nestas atividades foram vários pensadores, entre eles, o Antônio Torres Montenegro, Paul Thompson e Ecléa Bosi, que frisa em uma de suas obras “Por muito que deva à memória coletiva é o individuo que recorda. Ele é o memorizador, e das camadas do passado a que tem acesso pode reter objetos que são para ele, e só para ele, significados dentro de um tesouro comum”.



Recordo quando tive a oportunidade de ser selecionado por um processo de concurso interno na Seduc e a minha primeira viagem de deslocamento para Terra Santa, município do Estado do Pará, fronteira com o Estado do Amazonas, que corresponderia o primeiro módulo. Recebi da Secretaria a passagem de avião de Belém – Santarém. Viajei cedo para o destino do voo, onde ficaria o dia todo aguardando o barco que sairia pela parte da noite para Oriximiná.  No final da tarde, fui recomendado para deslocar para a embarcação, que teria melhor lugar para atar rede. Cheguei sozinho na embarcação, me apresentei para um dos funcionários e ele mandou entrar e me arranjar. Tive um impacto neste momento, tirei a rede da sacola, porém, a rede era curta e precisaria de corda, para armá-la. Vantagem que o porto, onde estava o barco, ficava perto do comércio, então, corri para comprar o que necessitava, claro, que mandei o funcionário ficar responsável pelas minhas sacolas. Quando cheguei à embarcação coloquei um punho em uma escápula, só que a outra necessitava da dita corda. Fui tentar amarrar, mas sempre ficava frouxo, foi quando um Senhor, com mais de setenta anos, viu que eu estava enrolado para armar a rede, pediu licença pra mim e me ensinou como faria um laço de porco, na rede. Não lembro o nome dele, também, tanto tempo, me apresentei e disse que era “marinheiro de primeira viagem”, comecei a conversar e disse que o melhor presidente que o Brasil já tinha tido fora Getúlio Vargas, a partir daí a conversa se aprofundou até altas horas, com a embarcação lotada.  Saímos do porto de Santarém por volta das 19h.,com horário previsto de chegada às 04h.




Ressalto que nessa viagem, vivenciei momento importante de minha trajetória no Some, conhecendo novas pessoas, outro lado do Pará, que não conhecia até então. Com essas trocas de experiências, serviram como amadurecimento para o que iria enfrentar ao longo período que ficaria no magistério, até por que esse Senhor que encontrei na embarcação, era apaixonado pela história, a vida do Getúlio Vargas e Ditadura Militar dominava quase tudo, inclusive datas, porém, era uma autodidata, com apenas o fundamental, mas, muita leitura sobre o que defendia. Até, hoje, não esqueço e foi um privilégio tê-lo em companhia de viagem.

sábado, 15 de abril de 2017

37 anos do Sistema de Organização Modular de Ensino - SOME








No dia 15 de abril de 1980, foi implantado o Sistema de Organização Modular de Ensino - SOME, no Estado do Pará, como política pública educacional voltado para os alunos que não tinham acessos de estudar na zona urbana, onde possuía o 2º Grau, no governo de Alacid Nunes, com o Secretario de Educação do Estado Dionísio Hage. 






Nesses 37 anos, que completa hoje, o Some oportunizou que muitos alunos filhos de trabalhadores camponeses, quilombolas, indígenas e ribeirinhos terminassem o ensino médio e criando melhores condições de disputar o mercado de trabalho, taí, vários alunos com ensino superior e médio trabalhando em prol da sociedade.






Através de muitas lutas, a comunidade escolar do Some, obteve várias conquistas e vitórias.  






O papel dos educadores durante esse processo, foi além de trocar experiencias, organizar politicamente nas comunidades para os diversos enfrentamentos, tanto contra o Estado, como nos municípios, inclusive, elegendo membros munícipes para cargos eletivos. 






Parabenizo todos os companheiro(a)s de lutas e sonhos pelo dia importante e histórico. Viva os 37 anos do Some. Vida Longa!













































































Imagens dos Educadores do Some.

sábado, 1 de abril de 2017

Pressão dos educadores de Conceição do Araguaia faz governo do Estado do Pará recuar


Na quinta-feira que passou, os educadores da Unidade Regional de Conceição do Araguaia, juntamente com outros educadores de mais de quinze municípios do Estado do Pará, ocuparam a sede da Secretaria Estadual do Pará - Seduc, com objetivo de pressionar os técnicos para liberação das matrículas do 1º ano do ensino médio, que até ,então, o governo  impôs condições para liberações, com isso retardando o período do ano letivo do Sistema de Organização Modular de Ensino - Some. 

Através de várias ações durante o dia e fruto de várias frentes em todo o Estado, a Seduc liberou o sistema de matrículas. Foi uma grande vitória da categoria, que através da união e força conseguiu seu principal objetivo.

Fonte: Gigante do Norte: Some e suas conquistas

Governo estadual do Pará quer extinguir o Some




Fonte: Gigante do Norte: Some e suas conquistas
     

Comunidades de Altamira pressionam governo estadual do Pará pela não extinção do SOME


SOME - Jornal da RBA de 31/03/2017







Educadores do Some reivindicam matrículas, para o 1º ano do ensino médio e ocupam Secretaria Estadual de Educação no Estado do Pará - Seduc