Estatística

Codigo contadorweb.com ver. 5.3 -->

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Unificados: Estudantes, servidor e professor








Manhã de hoje, em frente à Assembleia Legislativa do Estado do Pará (ALEPA), em Assembleia Geral, os trabalhadores em educação do Estado do Pará, aprovou por ampla maioria pela continuidade do movimento paredista iniciado no dia 14 de setembro.






As mobilizações e ações motivados pela greve dos trabalhadores em educação possuem vários motivos, entre eles: o não cumprimento da Lei do piso do magistério; a garantia dos 200 dias letivos; reforma imediata nas escolas; fornecimento regular e de qualidade da alimentação escolar; transporte de qualidade para as comunidades mais distantes; enquadramento do pessoal de apoio administrativo e de apoio no PCCR; e pelo fim da violência nas escolas e entorno.









Outras reivindicações fazem parte da pauta de luta da categoria como, a realização de concursos públicos em todas as áreas da educação que tem necessidade de preenchimento de vagas; garantia do gozo de licenças, conforme a Lei, o que não acontece no momento; a defesa e continuidade do Sistema de Organização Modular de Ensino - SOME;  contra o Sistema Educativo Interativo - SEI e o projeto Mundiar, e contra o assédio moral aos trabalhadores e estudantes que está sendo utilizado pelas direções de escolas, USES e URES, com o objetivo desarticular à  greve.






 As decisões finais da Assembleia, de Hoje, foi:

*Manutenção da GREVE por tempo indeterminado;

*Mobilização nas escolas/distritos/municípios;

*Panfletagem e colagem nas principais vias da cidade;

A assembleia aprovou ainda a seguinte agenda de lutas:

28.09 a 02.10 – Mobilização nas escolas/distritos/municípios

04.10 – Marcha em defesa da educação pública, 9h, conc: TJE (Av. Almirante Barroso)

06.10 – Ato público dos estudantes em apoio a GREVE dos (as) trabalhadores (as) em educação 

pública do Pará, horário e local a definir.




Nenhum comentário:

Postar um comentário